EDIFER ENTREVISTA: Golpe de Estado fala sobre o retorno aos palcos em comemoração aos 30 anos do álbum Quarto Golpe e a parceria com o selo EDIFIER.

Tempo de leitura: 4 minutos

A banda Malvada e convidados foram os responsáveis pelo show de abertura.

No último domingo (15) de agosto, o Carioca Club reabriu as portas para o bom e velho rock nacional. A banda Golpe de Estado comemorou o aniversário e 30 anos do álbum Quarto Golpe com um show super emocionante, principalmente para os fãs, que logo cedo se reuniram na porta da casa de shows, como nos velhos tempos.

A festa teve a participação da banda Malvada com show de lançamento de álbum e convidados especiais como, Egypcio (vocal da banda Cali), Ricardo Japinha (ex-CPM22) e o vocalista da banda Korzus, Marcello Pompeu.

Nós a EDIFIER conversamos com os integrantes da banda principal, momentos antes de iniciarem a apresentação. Confira:

Entrevista Golpe de Estado

Nelson Brito, único integrante da formação original da banda Golpe de Estado, estava nostálgico logo no começo da entrevista. Quando perguntei qual era a sensação de retornar aos palcos depois da pausa forçada devido à pandemia, ele respondeu: “Nossa última apresentação na Terra foi em março e na quarta-feira tudo fechou. Esse aqui é talvez um dos primeiros que a galera tá voltando e hoje tá sold out! E é muito legal voltar”.

O show que aconteceu dia 15 de agosto, no Carioca Club, foi uma apresentação especial de aniversário do álbum Quarto Golpe, lançado em 1991. Com quase 40 anos de carreira, a banda contou que quase todo ano fazem comemorações dos álbuns já lançados.

O baixista confessou que a parte mais legal é tocar músicas antigas novamente. “Eu principalmente, que não lembro mais as músicas, preciso estudar tudo de novo e é sempre emocionante. Tem música que você nunca tocou ou tocou muito pouco, nós vamos tocar hoje e elas são muito legais”. O baterista Roby Pontes complementou, “É um desafio pra gente mesmo, isso é legal e diferente, poder mudar um pouco o repertório.”

O setlist do show da banda Golpe de Estado foi composto pelas 9 faixas do álbum Quarto Golpe e alguns sucessos que marcaram a história da banda ao longo desses anos, como: ‘Nem Polícia’, ‘Um de Nois’, ‘Velha Mistura’, ‘Paixão’, ‘Zumbi’, ‘Feira do Rato’, ‘Lado Bicha’, ‘Noite de Balada’ e fecharam o show com ‘Libertação’.

Enquanto conversávamos sobre a discografia do Golpe de Estado, Marcello Schevano deu detalhes sobre a parceria da banda com o selo EDIFIER, que foi uma notícia surpresa para alguns integrantes e gerou até um alvoroço! Nós da EDIFIER estamos em negociação para reeditar todos os discos do Golpe de Estados com o nosso selo, incluindo o novo trabalho ‘Caosmópolis’, que está em processo de produção com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2022. “Esse nosso namoro com a EDIFIER vai longe ainda”, declarou o vocalista João Luiz.

Afinal, os integrantes do Golpe de Estados são apaixonados por som e usam os produtos EDIFIER! “Eu uso os fones que é maravilhoso! O melhor fone que tem é o da EDIFIER!” Roby afirmou cheio de empolgação! Enquanto Nelson, chateado, disse que ainda não tem um. Ele até quis parar a entrevista, e todos nós rimos muito!

Para finalizar, o vocalista desabafou que é suspeito em dizer o quão emocionado estava. “O primeiro show que eu fui, foi justamente a turnê do Quarto Golpe em 1991, e hoje estou aqui tocando com essa galera aqui, tremenda honra, casa cheia, com todos os protocolos de segurança, todo mundo curtindo e cantando é fenomenal.” E agradeceu a parceria com o selo EDIFIER, pela marca estar reforçando a produção de Vinil no Brasil, já que ele tem diversos títulos guardados, incluindo os do Golpe de Estado em sua coleção.

Antes do show começar, também conversamos com as integrantes da banda Malvada, que estavam super animadas com o show de lançamento do primeiro álbum intitulado “A Noite Vai Ferver”.

Para participar da festa, a banda convidou o vocalista da banda Cali, Egypcio e eles apresentaram os hits ‘Geração Coca-Cola’ do Legião Urbana e ‘Tudo O Que Ela Gosta de Escutar’, do CBJR. Quando conversamos com ele após a apresentação, o cantor não poupou elogios à banda: “Foi irado, acho irado meninas com atitude Rock, fazendo um som autoral…e fora que elas tocam muito bem, são ótimas musicistas. Adorei cantar com elas.” E sobre seu amor por som, ele completou: “De todos os produtos EDIFER que tenho, o que eu mais curto são os meus monitores R2000”.

Quem também elogiou as integrantes da banda Malvada, foi o baterista Ricardo Japinha. A participação dele foi durante as músicas ‘I Want to Break Free’ do Queem e ‘Here I Go Again’ do Whitesnake. “Foram elas que sugeriram as músicas, mas são músicas que eu amo tocar! Fluiu super bem. Vibe boa!”

Você ficou com vontade de assistir este momento histórico de retorno aos palcos do Golpe de Estado e o show de abertura da Malvada? Clique aqui, e confira a cobertura completa do show com abertura da banda Malvada e convidados especiais, no Carioca Club, em São Paulo.

Comentários no Facebook